• Instituto Farol

A importância da família no tratamento do autismo

Crianças com autismo tendem a ter menos orientação social e como consequência tendem a observar menos os adultos, suas expressões corporais e faciais, o que causa uma diminuição na aprendizagem, especialmente em comunicação e jogos sociais. Desta forma, nossas crianças precisam estar inseridas em ambientes sociais que promovam interação social de qualidade na maior parte do tempo. Como isso é possível? Treinando pais e cuidadores!


O envolvimento dos pais e da família é considerado a melhor prática na intervenção precoce no autismo. (National Resarch Council, 2001). O treinamento de cuidadores tem sido parte essencial de programas sérios e baseados em evidência científica



Ainda que a criança esteja em algum programa de intervenção, na maior parte do tempo ela está sob cuidado de familiares, que quando bem instruídos podem ser facilitadores no manejo de comportamentos e no desenvolvimento de seus pequenos. O isolamento social como o que estamos vivendo nos mostra com exemplos práticos como o conhecimento traz segurança e autonomia para as famílias. Orientados por profissionais especialistas, os cuidadores podem promover oportunidades de ensino ao longo do dia, minimizando os impactos do afastamento de terapias e do convívio social.

Nós do Instituto Farol acreditamos no poder do conhecimento dos pais, temos política de terapias de “portas abertas” e democratizamos o saber. Já conhece nosso canal do Youtube? Lá temos conteúdo de qualidade que pode auxiliar você!


Gostou do post? Deixe seu comentário 🙂

712 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo